=====================

 

Ideias para Blogger

Tempo para reflectir.

Written By Al Berto on terça-feira, novembro 28, 2006 | terça-feira, novembro 28, 2006


A Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê uma autêntica pandemia depressiva nos países ocidentais nos próximos 20 anos.
A depressão é já a primeira causa de incapacidade, na carga global de doenças, nos países desenvolvidos.

A pergunta que se põe é... porquê?

Se as pessoas vivem melhor, se têm uma melhor alimentação, melhor educação, melhores cuidados de saúde, maiores facilidades perante a vida, etc. porque razão este fenómeno acontece?

Excluindo os casos motivados por doença genética, muitos problemas com ela relacionados estarão ligados a fenómenos de carácter social.
As pessoas vivem obcecadas pelo consumo fácil e pelos valores da sua imagem exterior.
Não sabem, não querem, ou não podem, querer ter tempo para apreciar a magistral beleza da simplicidade do que a rodeia e de cuidar do que lhe é verdadeiramente mais precioso.
Fazem contas na hora de receber em casa um amigo para um são convívio mas estão sempre disponíveis para gastar em algo supérfluo e perecível.

A sua vida interior é esquecida e o enriquecimento intelectual é desguarnecido, as vaidades são cultivadas.

A telenovela ou o futebol, cheios de ilusões, surgem em primeiro lugar sobre qualquer outro programa que transmita conhecimento.
Os valores são, na maior parte das vezes, facilmente trocados por bens materiais que, porque materiais, se gastam e acabam.


Ficam lançadas as condições para a "semente" da ambição desmedida, o querer "brilhar" a qualquer preço, surge a "cegueira" para poder apreciar o que é verdadeiramente belo na vida.

Ao primeiro momento de contrariedade que surja a pessoa encontra-se desprotegida, frágil, completamente desamparada e é "pastagem" fácil para a angústia e para esse "demónio" que é a depressão.


A solução está nos "Valores Humanos e sua Prática na Vida Cotidiana".

E, se sofres de depressão, "Como podes ajudar-te"?

20 comentários:

Ricardo Rayol disse...

No meu caso é causada por excesso de responsabilidades e frustações profissionais insuportáveis.

Anónimo disse...

Pois é! E ontem fiquei a saber que 30% dos portugueses sofrem de algum tipo de perturbação mental... É preocupante...

Hoje parece que estamos todos em stress. Não há tempo que chegue para nada. Não há dinheiro que chegue para nada. Não há compreensão suficiente. Não há respeito suficiente. Não há carinho suficiente. Tudo o que temos não é suficiente. E isso tudo gera mau estar. E, para contrastar, temos que estar sempre com bom aspecto e sorridentes.
É esquisito.
Mas o que eu acho é que, por querermos muito, não damos valor a nada. Não damos valor ao essencial, ao lado sensível. Se valorizássemos mais o que temos, veríamos que afinal a nossa vida não é assim tão má! Mas eu aprendi isto à minha custa... Também tive de ter a minha "depressão" para olhar para as coisas, para a vida, de outra forma. Mas nem toda as pessoas conseguem e então continuam a alimentar a sua insatisfação que depois se traduz na depressão. Talvez esteja a simplificar... Mas eu gosto de simplificar.

Beijo grande.

veritas disse...

Olá José Alberto!

Pois é...ainda ontem ouvi que são 30% dos portugueses...Gostei muito deste seu post.Achei bastante oportuno "As pessoas vivem obcecadas pelo consumo fácil e pelos valores da sua imagem exterior.
Não sabem, não querem, ou não podem, querer ter tempo para apreciar a magistral beleza da simplicidade do que a rodeia e de cuidar do que lhe é verdadeiramente mais precioso.
Fazem contas na hora de receber em casa um amigo para um são convívio mas estão sempre disponíveis para gastar em algo supérfluo e perecível.

A sua vida interior é esquecida e o enriquecimento intelectual é desguarnecido, as vaidades são cultivadas". Quero pegar nesta parte, porque reitero...é precisamente isso, um mundinho afuniladinho pela a ausência de verdadeiros e elevados valores, que vai castrar o cérebro, as aptidões...as pessoas procuram como objectivos de vida os estímulos errados, que tal praticar a simplicidade? Um sorriso genuíno para o vizinho em vez do tradicional amarelo e plástico? Que tal o desfrute de um jardim, ou simples flor, em vez de um centro comercial onde se pensa obsessivamente nas compras, no ter, no que o outro tem...no suplantá-lo através do poder de compra? Que tal delimitar nobres princípios de vida onde não conste ter mais um cartão de crédito...

Bjs.

veritas disse...

peço perdão...pela ausência, era o que queria escrever.

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Ricardo:

Como eu te compreendo.
Mas há que reagir e, sobretudo apesar de não ser fácil eu sei, tentar deixar essas "frustrações" no local de trabalho.
Não resolves nada em "trasnportá-las" contigo constantemente... só piora a "coisa".
Apesar das responsabilidades serem próprias de quem tem valores, precisas cultivar algum desprendimento e autocontrole.

Um abraço,

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Angela:

"Mas o que eu acho é que, por querermos muito, não damos valor a nada. Não damos valor ao essencial, ao lado sensível. Se valorizássemos mais o que temos, veríamos que afinal a nossa vida não é assim tão má! Mas eu aprendi isto à minha custa... "

Palavras para quê, resumes na perfeição o "grande pecado" perante a vida.

Um beijo,

migas (miguel araújo) disse...

Viva Mostardinha
Esta vai ser, a par da SIDA (infelizmente, ainda uma realidade preconceituada), o maior flagelo do século para a saúde individual e pública.
E o mais grave, é que, nos dias de hoje, não é encarada como uma grave e real doença.
Seja pelas razões que forem: as de excesso de responsabilidade, as de crise de identidade, as da futilidade.
Para muita gente, uma depressão ainda é coisa de Jet 7 e doença da moda.
Cumprimentos

Guilherme Roesler disse...

Mostardinha,

o trabalho é bom só no ambiente de trabalho.

Como disse, de nada adianta transporta-lo para casa se nela nada poderá ser resolvido.

Abraços, Guilherme

Ricardo Rayol disse...

Mostradinha, seria fácil se não o fosse eheheheheh Exemplo, gastei 6 meses preparando um projeto técnico e comercial para um cliente. Projeto no valor inicial de mais de US$ 7 milhões. Quando o disgramado ia assinar o projeto deu pra trás e jogou por terra todo o meu esforço. Isso é uma puta de uma frustração ahahahahahahaha

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Ricardo:

oopppsss!!!...mas isso tem a ver com estratégia comercial.
Numa primeira fase um estudo preliminar e superficial pode ser apresentado sem custos para o cliente.
Numa segunda, não sei como funciona o negócio por aí, em condições normais esse cara deveria ter dado um percentagem do total de entrada para um estudo cuja complexidade o exigia.
Imagina se todos procedessem como ele?

Um abraço,

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Veritas:

Perfeito, o ser humano tem, definitivamente, que conseguir olhar para o que o rodeia de uma forma bem diferente.
Tem que olhar para a natureza e aprender a desfrutá-la... e a respeitá-la.

Quando conseguir entrar em comunhão absoluta com ela, como que fundir-se com ela, é sinal de que atingiu um ponto de perfeição bem elevado.
Mas isso só o conseguirá com uma libertação mental que terá de cultivar dia após dia.

Chegado a este ponto a sua vida interior é de tal forma forte que se encontra como que vacinado para as contrariedades que se lhe possam apresentar.


Bjs

Kalinka disse...

Realmente:Tempo para reflectir.

Ora bem, infelizmente depressão é comigo há cerca de 8 anos e...
veio para ficar!!!

Estamos todos em stress.
Não há compreensão suficiente.
Não há respeito suficiente.
Não há carinho suficiente.
Tudo o que temos não é suficiente. E isso tudo gera mau estar.

Um dos grandes problemas de quem está à nossa volta é que SIMPLIFICAM a situação, que é bem grave para ser dessa forma simplificada.
Muita falta de respeito para com o deprimido.
Beijo.

Kalinka disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Arauto da Ria disse...

Caro JAM,
É uma realidade incontornável. Mas os verdadeiros motivos para a instalação desta praga, são tantos e tão deversificados que não é fácil de entender.
Todos nós somos muito ou pouco deprimidos e muitas vezes sem motivos aparentes, pois a depressão tanto ataca o rico como o pobre,nesta situação existe justiça social.
Um abraço.

Anónimo disse...

Para Kalinka.

Eu detesto expor a minha vida pessoal mas, para te responder, vou ter de o fazer. Eu também passei por uma fase muito difícil. Mas como tive consciência que me estava a afundar, resolvi lutar. Há muitas pessoas que sentem que estão depressivas mas, em vez de lutar contra isso, alimentam ainda mais esse estado porque não querem reagir. Para ti pode ser simplificar uma realidade difícil. Para mim é apenas demonstrar que, com força de vontade, conseguimos superar muitos males. Mas claro, se nos vitimizarmos e ficarmos à espera de milagres, nada acontecerá. E os medicamentos são apenas drogas...
Não pretendo faltar ao respeito a ninguém. Pretendo apenas sacudir certos espíritos.

Kafé Roceiro disse...

Amigão meu,
Que bom que entendes minha ausência. Sabe, a gente não pode ficar lamuriando os problemas por aí afora. Temos que seguir em frente. Os problemas são sérios, mas tiro um tempinho pelo menos pra postar algo, por que me distrai e me acalma. E vocês meus amigos, compreendem! Isso é que é mais legal na amizade, mesmo virtual. No mais, o assunto da depressão é isso mesmo, oportuno. As pessoas deixaram de valorizar o abraço, o afeto, e valorizam as "coisas". O mais legal é que no final você oferece a solução. Te admiro muito, meu amigão!

Jorge Sobesta disse...

Caro Mostardinha,

Sei por experiência que a sensibilidade é uma porta a ser vigiada para que não entre a depressão. Li em algum lugar que as pessoas de boa fé são mais predispostas a esse mal.
A pior frustração é ver as coisas da vida se resolverem da pior forma. Ver todos os belos valores humanos irem pelo esgôto em troca de prazeres efémeros gera opressão e angústia que são a base da desestabilização emocional.
Ôpa, pareço até um psiquiatra falando, mas as pessoas adoecem por essas quetões também.

Um grande abraço.

Stella disse...

o meu stress supera a depressão

José Alberto Mostardinha disse...

Para o Arauto, o Kafé e o Jorge... aquele abraço.

Para a Stella... áhhh, mulher forte... assim é que se fala.
Mas... cuidado não vá o stress atingir o ponto de rotura e... virar todo o processo.

O mais importante é ter espírito positivo.

Um beijo,

ariadne disse...

Alô Mostardinha, Saudações. Passei aqui para deixar meu abraço.