=====================

 

Ideias para Blogger

Um aveirense... que nos deixa

Written By Al Berto on terça-feira, setembro 18, 2007 | terça-feira, setembro 18, 2007


O professor Armando Simões dos Santos, fundador da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa, morreu esta madrugada, aos 75 anos.

Designado pela Ordem dos Médicos como "o pai da medicina dentária portuguesa" dirigiu a Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa entre 1991 e 2002.

O professor Armando Simões dos Santos era uma pessoa muito dedicada ao ensino e à faculdade, que ele chamava afectuosamente de 'a minha escolinha' e que começou com 16 alunos, mas tem agora 600, sendo a única faculdade do mundo onde se formam equipas de saúde oral completas.

Nascido a 30 de Janeiro de 1932 em Cacia, Aveiro, Armando Simões dos Santos licenciou-se em Medicina na Universidade de Coimbra, em 1959, e especializou-se em Estomatologia, tendo-se empenhado de tal modo que, durante mais de dois anos consecutivos trabalhava, comia e dormia no Hospital de Santa Maria. Isto aos 27 anos de idade.

Em 1963 foi mobilizado para a guerra colonial e partiu para Angola, onde ajudou a criar um serviço de cirurgia maxilo-facial no Hospital Militar de Luanda.

Quando regressou a Portugal, sentiu necessidade de actualizar a sua formação - o que fez em Espanha, França, Dinamarca e Suécia - tendo ingressado depois no Hospital de Santa Maria, onde fez carreira hospitalar, atingindo o grau de Médico Graduado e, posteriormente, Chefe de Clínica.

Fundou, em 1975, a então denominada Escola Superior de Medicina Dentária de Lisboa.

Presidente da Sociedade Portuguesa de Estomatologia em 1978, e da direcção do Colégio de Estomatologia da Ordem dos Médicos no ano seguinte, integrou um total de 18 sociedades científicas, tendo sido distinguido com a condecoração de Grande Oficial da Ordem de Mérito em 2005.

Um aveirense que foi um exemplo de vida.

2 comentários:

guilherme roesler disse...

Mostardinha,

certamente uma perda irreparável para a odontologia portuguesa.

Abraços, GR.

veritas disse...

A ele deixo a minha homenagem, mais alguns como ele e teriamos certamente um mundo melhor. Um exemplo da dádiva, sem pensar na troca ou no receber.

Bjs. Boa semana.