=====================

 

Ideias para Blogger

De derrota em derrota... até á derrota final.

Written By Al Berto on sexta-feira, fevereiro 16, 2007 | sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Era para colocar aqui o link para que podessem ler a notícia na origem mas como quero ficar com esta verdadeira sumidade intelectual nos arquivos do blog resolvi colocá-la aqui em toda a sua extensão.
É um pouco longa mas leiam, leiam que destas não é fácil encontrar.
Vão ver que merece o esforço.
Quando chegarem ao fim seguramente estarão todos muito mais informados e... formados.
Tenho para mim que esta reunião terá sido mais "um tiro no pé", o futuro o dirá.

Então cá vai:

A Igreja Católica apelou hoje ao Governo e à sociedade civil para reforçarem o apoio às mães e à família de modo a transformar a legalização do aborto numa «lei inútil».

No final de uma Assembleia Plenária Extraordinária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), que decorreu hoje em Fátima, foi distribuída uma nota pastoral em que os bispos comentam a derrota do «não» no referendo ao aborto e defendem um maior envolvimento do Estado e da sociedade civil no apoio à família e às mães em dificuldades.

«Demos as mãos para acabar com o aborto e tornar a lei que agora se vai fazer numa lei inútil», defendem os bispos portugueses.

Após a derrota do «não», a prioridade da Igreja é «ajudar as pessoas, esclarecer as consciências e criar condições para evitar o recurso ao aborto, legal ou clandestino», em parceria com outros sectores da sociedade e o próprio Estado.

Aos católicos, a Igreja recorda que o «facto de o aborto passar a ser legal, não o torna moralmente legítimo» e continua a «ser um pecado grave».

Por isso, os médicos e profissionais de saúde católicos não devem hesitar em «recorrer ao estatuto de “objectores de consciência” que a lei lhes garante», (pois, pois as clínicas, que vão abrir, e os médicos espanhóis agradecem... digo eu), defendem os bispos, que pedem também ponderação às «mulheres grávidas que se sintam tentadas a recorrer ao aborto».

Por isso, a Igreja irá apostar mais em «estruturas de apoio eficaz» às mães, reclamando também uma «correcta educação da sexualidade» dos jovens, já que uma «vivência desregrada» constitui uma das «principais causas das disfunções sociais e da infelicidade das pessoas».

«Quando a geração de um filho não for fruto de irreflexão, mas de um acto responsável, estará resolvido, em grande parte o problema do aborto», destaca a nota pastoral.

Para os bispos portugueses, o resultado do referendo demonstra uma «cultura que não está impregnada de valores éticos fundamentais», como é «o carácter inviolável da vida humana, aliás consagrado na nossa Constituição».

Uma das justificações que a Igreja encontra para a derrota é a «mediatização globalizada das maneiras de pensar» a que se somam «lacunas» do «sistema educativo» que não aborda as «questões primordiais do ser humano».

A «relativização dos valores» e o «individualismo» excessivo foram outros factores encontrados pela hierarquia católica para a derrota do «não».

Por outro lado, a Igreja admite também «alguma fragilidade do processo evangelizador, mormente em relação aos jovens», pelo que o trabalho pastoral terá de ser alargado no futuro.

«Toda a missão da Igreja tem de ser, cada vez mais, pensada para um novo contexto da sociedade» e é necessário «criatividade e ousadia» para o «esclarecimento das consciências», refere a nota pastoral.

«O debate do referendo esteve centrado na justeza de um projecto de lei que, ao procurar despenalizar, acaba por legalizar o aborto», recordam os bispos.

No texto, os prelados criticam também o Governo, que «se quis comprometer numa questão que não é de natureza estritamente política», mas esperam que a prioridade seja a redução do número de abortos clandestinos.

Para isso, «o único caminho eficaz e verdadeiramente humano é avançarmos significativamente na formação da juventude e no apoio à maternidade e à família».

Em declarações aos jornalistas, D.Carlos Azevedo, porta-voz da CEP, considerou que se confundiu «uma questão partidária e ideológica com uma questão civilizacional e de consciência», permitindo aproveitamentos políticos em torno do debate no referendo.

Sobre as críticas feitas por Francisco Louçã (BE) à Igreja, considerando que muitos católicos não acataram as recomendações, D.Carlos Azevedo limitou-se a dizer que os bispos acharam «graça» a essas declarações.

«Muitas vezes quem se diz religioso e católico não assume os valores do Evangelho», notou o bispo, rejeitando que a Igreja seja a grande derrotada do referendo.

«Os valores defendidos pela Igreja neste momento é que não estão em cotação alta na sociedade portuguesa e nós lamentamos isso», concluiu o bispo.

(Diário Digital / Lusa)


Como fica provado estes sujeitos não têm emenda e o mais caricato é que arranjam sempre desculpa para tudo... inclusive para a sua própria estupidez.
Se alguém tinha dúvidas de que a 11 de Fevereiro de 2007 houve outro 25 de Abril (agora nas consciências), com esta reunião da conferência episcopal perdeu as dúvidas.

Este D. Carlos Azevedo, porta-voz da CEP, já nos habituou a autênticas calinadas verbais.
Uma das últimas foi a seguinte declaração, em entrevista no Telejornal da RTP, que fica á consideração:

- A educação sexual deve ser uma responsabilidade exclusiva dos pais e não deve ser ensinada nas escolas porque esta não tem valores. (sic)

Ora vejam também esta aqui.

Vamos meus amigos... ajudem a empurrar a "burra", então?

Nota da redacção:
Estou certo de que quando se referia aos pais estaria a pensar nos mais desfavorecidos pois que esses têm todas as condições para dar essa educação aos seus filhos... até pelo seu nível cultural claro está.

14 comentários:

António Silva disse...

Boa... desta é que eu não estava á espera.
Já que não mudam o melhor é eles irem pensando em mudar o povo.

veritas disse...

"Toda a missão da Igreja tem de ser, cada vez mais, pensada para um novo contexto da sociedade» e é necessário «criatividade e ousadia» para o «esclarecimento das consciências», refere a nota pastoral."
Será anedota?...A ver vamos...ou ver não vamos?


Bjs. Bom fim-de-semana.

Arauto da Ria disse...

Caro JAM,
A foto que puseste a ilustrar o post diz tudo.
Mais comentários... serão secundários.
Um abraço e bfs.

Ricardo Rayol disse...

Em resumo, continuarão com a politica de sexo depois do casamento e para fins de reprodução, irão pressionar a consciencia de cada um apontando o dedo, mesmo que ilegalmente, contra aquelas que o fizerem e, supra-sumo da bizarrice, irão importar do Brasil um dos mais hediondos conceitos de esmola social o bolsa-familia.

rouxinol de Bernardim disse...

A Igreja anda a reboque do mundo, há muitos séculos.. .

É uma pena mas que se há-de fazer?

Será que não vê que se está a auto-excluír?

Nos interstícios do direito canónico há muita teia de aranha e bolor... só não vê quem não quer ver!...

Era altura de um voo mais sadio para patamares de espiritualidade mais consentâneos com a chamada sociedade hodierna...

Guilherme Roesler disse...

Mostardinha,

a igreja catolica está cada vez mais atrasada e errada.

Quando diz que "a «relativização dos valores» e o «individualismo» excessivo foram outros factores encontrados pela hierarquia católica para a derrota do «não»" apenas demonstra sua total falta de bom senso.

O SIM ganhou não por causa do individualismo (parece que a igreja repudia que um de nós pense por si proprio ou que vivamos nossa vida nos padrões que queremos estabelecer), ou da relativização dos valores (o que é isso?).

O SIM ganhou pois está de acordo com a evolução do mundo.

Não estamos falando de assassinatos de fetos, mas de algo que ainda não tem vida. É um absurdo e falta de escrupulos afirmar o contrario para justificar opiniões de cunho religioso e/ou ideologico previamente estabelecidos.

Mas a igreja é mestra nesta arte.

Por isso o SIM ganhou: pois a sociedade evolui a cada dia, coisa que a igreja parece esquecer a cada dia que passa.

Abraços, Guilherme

Alexandre disse...

Bom, em matéria de cotação é melhor a Igreja Católica nem pensar em entrar na Bolsa, acho que ficaria muito mal cotada, hehehe... apesar de tudo vejo muitos jovens ligados à Igreja, admiro-me que não façam nada para tentar alterar as coisas... bom, para dizer a verdade aquilo que muitos desses jovens «pregam» também não o cumprem na vida real!!!!

E agora que o meu filho mais novo (8 anos) quer ser padre???? Bom, pelo menos tem emprego garantido... hehehe,

Um abraço e bom Carnaval. Serve-te à vontade dos morangos, agora até acrescentei uma musica caranavalesca!!!

angel bar disse...

A Igreja Católica há muito que me desiludiu... mais um pão nosso de cada dia... infelizmente. Um bom fim de semana e um feliz Carnaval.

Klatuu o embuçado disse...

Nada de novo: simples ressuscitação medieval que fede.

Vera disse...

Apoio todos devem dar... mas ja alguem se lembrou que a Igreja e uma das instituiçoes mais ricas do MUNDO?????????? Que tal começarem a distribuir tanta fortuna???
Quanto cinismo...

Beijinhos

PSousa*Bancada Directa* disse...

Continuamos a ter uma igreja, que está muitas décadas atrasada do resto mundo, pois enquanto a comunidade e suas leis vão evoluindo, esta vai regredindo, pois ao não actualizar-se e continuando a pensar hipócritamente, atrasa-se substencialmente mais uns anos que o atraso dito.

Quem está a frente da Igreja devia de reflectir, mas como ainda não é tempo de reciclagem na igreja universal, digo de valores e senhores, não do essencial que a igreja defende, continuará a dar verdadeiros festivais de ...educação in..sexual.

Abraço amigo e espero que ajudar a mula... avançar e abrir os olhos.

Kalinka disse...

A vida é só uma…breve ou longa, é uma incógnita!
Numa das imagens mostro uma espécie de relógio que significa o «tempo», e ele é muito importante em todas as vidas. Perseguir e alcançar a felicidade é o sonho humano mais desejado, pois todos temos direito a um quinhão de felicidade.
Partilha comigo esta busca, perseguindo também a Felicidade.

Lamento não poder visitar este lindo espaço (blog) durante a semana, mas, a promessa de cá vir ao fim de semana mantenho-a.

Beijokas.

BOM CARNAVAL.

Cris disse...

A igreja católica mais uma vez faz seu retrógrado e hipócrita papel...mera tentativa! beijão!

CarpeDiemBeHappy disse...

Olá JAM,

Já não posso ouvir falar mais nesta gente hipócrita!!

A fotografia diz tudo!!

A Igreja católica deveria era estar interessada em ajudar os pobres, em partilhar a riqueza que eles tanto ostentam nas igrejas!!

Mentalidade retrógrada!!

Beijinhos