=====================

 

Ideias para Blogger

Saddam Hussein enforcado.

Written By Al Berto on segunda-feira, janeiro 01, 2007 | segunda-feira, janeiro 01, 2007

Ano Novo, vida nova, pelo que, para alguns, não há nada como acabar o velho "a matar".
Passou esta quadra festiva e está na hora de voltarmos á realidade e, perante tanta estupidez... apetece-me ser estúpido, digo, objectivo.
Assim:


A acabar o ano Saddam Hussein foi executado por enforcamento.
Muito sinceramente, sinto uma revolta muito grande pelo extremismo islâmico e por tudo e que Saddam Hussein e os que o rodeavam fizeram, mas fica-se chocado ao ver as imagens de um homem com uma corda ao pescoço.
Foi punir crimes com outro crime.
Se o queriam matar, como sempre se soube, tinham-no feito quando o capturaram e poupavam o mundo a este lamentável espectáculo.

Ficou o Iraque mais seguro com este acto? Ficaram os americanos mais seguros? Ficou o mundo mais seguro? Não creio.
Violência gera violência e não é com violência que se constrói qualquer democracia, nem no Iraque... nem em qualquer outra parte do mundo.
Será que há sede de sangue na cabeça desta infeliz gente paranóica...


Este "dejecto" é o presidente dos Estados Unidos.

Sabe-se que Saddam Hussein recusou ir vendado para o cadafalso.
Testemunhas da condenação afirmaram mesmo que subiu para a forca sem qualquer resistência, resoluto e corajoso e as suas últimas palavras exortaram os iraquianos a manterem-se unidos.

Uma coisa é certa, se fosse o covarde, oportunista e paranóico do Bush que estivesse no seu lugar, seguramente que, antes de ser enforcado, ter-se-ia afogado na sua própria merda.

Este sujeito, sendo o seu lider, é o paradigma do verdadeiro anti-americano.
O seu povo que se cuide pois a estima e consideração do seu país está pelas "ruas da amargura" a nível mundial.
Num passado mais ou menos recente quando se falava de uma qualquer atitude das autoridades norte-americanas isso era entendido, na generalidade, como sendo benéfica para o mundo, hoje, qualquer que ela seja, antes de iniciada já está condenada ao pessimismo e ao descrédito da opinião pública mundial.
Penso mesmo que nunca na história dos USA o descrédito atingiu tal dimensão.


Entretanto, fruto da irresponsabilidade deste louco, os melhores filhos americanos vão perdendo a vida numa guerra que, é sabido, não terá qualquer hipótese para o lado americano.
Com Saddam morto através do lamentável espectáculo que foi possível visionar, resta a pergunta onde irão agora fazer-se explodir os seus seguidores sabendo eles que quem esteve por detrás desta encenação são as autoridades americanas.
Também aqui Bush não tem em conta a segurança, interna e externa, dos seus compatriotas.
Como irresponsável que é, pensa que tudo se resolve pela acção armada ou de hiper-segurança e não pelo respeito e consideração internacionais.

Começo a sentir nojo desta geração política de débeis mentais em que somente se vislumbram raras e saudáveis excepções... e não é só nos USA.

10 comentários:

José Alberto Mostardinha disse...

01 Janeiro, 2007, por Jorge Ortolá
José Alberto,

Não sei se esta execução foi o melhor que aconteceu. Penso, infelizmente, que não. O tempo o dirá...

Hoje quero desejar-te para este novo ano de 2007, muita saúde, Paz e realização de projectos.
Grande Abraço

PS:
Comentário apagado por lapso meu.
As minhas desculpas ao amigo Jorge.

JOSE MANUEL SOUSA2 disse...

Acaba de nascer um blog apenas com o objectivo de interrogar.
É com grande prazer que aceitamos os seus comentários.
Muito gartos.

Anónimo disse...

Querido José,
Passei para te desejar um Feliz Ano Novo, que ele te traga tudo o que ambicionas.
Um beijinhu :)

SaltaPocinhas disse...

Um bom ano para ti e para os teus, cheio de saude, paz, amor e algum dinheiro para gastar...
Em relação ao teu post, concordo com tudo o que escreveste, sem tirar nem pôr!

Kalinka disse...

Olá!
Um Bom Ano!
Com muito amor verdadeiro :)))
Que saibamos ser honestos connosco e com os outros. Cultivando o desapego, caminhando mais leves...

Beijos e abraços.

PS:em relação ao teu post muito haveria para dizer...foi cruel e desumano o que fizeram!!!

Anónimo disse...

Eu estou sendo obrigado a mudar minha maneira de encarar a execução dessa praga. Realmente criaram um mártir..Isso é péssimo. O Tribunal Internacional de Haia não se envolveu no assunto, o que também é pessimo.
Acho que se criou mais confusões ainda com esse ato. Apesar de achar que o genocida não valia nem a corda que o penduraram.

Anónimo disse...

Olá José Alberto:

Devo confessar que me chocou um bocado assitir a essas cenas da execução, gravadas segundo ouvi por uma câmara de telemóvel, precisamente na época natalícia...chocou-me o contraste da ideologia da época com a concretização do acto...

Bjs. Bom começo.

Ricardo Rayol disse...

Com todo respeito mas acho que o Saddam era um bom fdp. Por mim os eua debveriam te-lo matado quando o descobriram no buraco em que se meteu... a unica coisa que ficou pra mim é que o Bush filho é relamente um néscio geopolitico.. fazer um "julgamento" foi de uma burrice medonha

Patacoadas do Cleber disse...

Mostardinha,
Esse mundo gira, gira e continua cheio de gente que pensa que nem um homem das cavernas. O vídeo que foi divulgado recentemente, onde se ouve um xiita que presenciava o enforcamento, gritando ofensas para o Saddan, demonstra claramente que esse julgamento tem o dedo dos Estados Unidos e que realmente não teve nenhuma legitimidade. Foi mais um golpe de marketing do presidente Bush. O imbecil deveria estudar história... Deveria saber que um Saddan vivo é menos perigoso que um Saddan mártir.

acasus disse...

Esta execução é um pouco como o hara-kiri dos estupidos. O Sadam poderia ser, era, a melhor aposta contra o fundamentalismo islamico naquela parte do mundo.
Por outro lado o julgamento foi uma farsa que só alguem como Bush pode aprovar. Neste sentido, estão um para o outro.
A execução tem uma parte positiva: serve para mostrar ao mundo que ainda não tinha percebido que executores e executado se complementam, com a desvantagem de o executado aparecer agora com muito melhor imagem.
Nisto tudo convem perguntar: quando serão julgados o Barroso, o Bush e o Blair?