=====================

 

Ideias para Blogger

Declaração de voto.

Written By Al Berto on terça-feira, janeiro 23, 2007 | terça-feira, janeiro 23, 2007

O referendo de 11 de Fevereiro de 2007 será sobre uma alteração no código penal.
Trata-se portanto de uma questão exclusivamente legislativa e política.
Não se trata de determinar o início da vida, nem de retirar a governos futuros a prerrogativa de decidir que actos médicos serão pagos pelo SNS.

Resumidamente, eis no que fundamento a minha posição...

A vida não começa com a fecundação: transmite-se.
Um espermatozóide e um óvulo separados são ambos células vivas.
Um espermatozóide que fecunda um óvulo origina um ou mais seres humanos individuais, que terão a mesma informação genética (é o caso dos gémeos univitelinos).
A fecundação dura uma vintena de horas e a nidação (implantação no útero) demora seis a oito dias.

Considero importante, pessoalmente, que o crescimento se acelere pela 12ª semana, mas parece-me mais relevante que só pela 24ª semana a taxa de sobrevivência do prematuro (viabilidade) se aproxime dos 50%, e que nesse momento já haja indícios de controlo do próprio corpo pelo feto (e portanto actividade cerebral consequente).

Mas as duas únicas fronteiras biologicamente claras, ao longo das quarenta semanas da gravidez, são mesmo a fecundação e o nascimento: a origem de um indivíduo e a sua separação física da progenitora.

A maternidade é um direito mas não um dever.

Eticamente, não consigo valorar um aborto no primeiro mês de forma muito diferente da contracepção de emergência, e um aborto no oitavo mês de forma substancialmente diferente de um infanticídio.

Mas a liberdade da mãe é também um valor.

Não é um descuido, por muito irresponsável que seja, que deve obrigar uma mulher a completar os nove meses de uma gravidez, com tudo o que isso significa de cuidados, privações e investimento emocional.

No primeiro trimestre, existe um equilíbrio entre os valores da liberdade da mulher e da vida do embrião/feto, sobre o qual cada mulher deve poder seguir a sua consciência.

Em Portugal, a «pílula do dia seguinte» (que não se sabe se actua antes, durante ou depois da fecundação...) está totalmente despenalizada e é usada abundantemente (foram vendidas 230 mil em 2005), sem que ninguém acuse as utilizadoras de «homicídio» (o que evidencia que a sociedade considera que não é de facto de «homicídio» que se trata).

Ora um «não» só seria perfeitamente coerente se defendesse que o abortamento de qualquer óvulo fecundado fosse tratado como um homicídio.

No Código Penal actual, o «crime de aborto» tem a mesma pena no segundo e no oitavo mês, o que é absurdo e só se compreende porque o código penal reduz a prazos «intervalados» o que é contínuo.

Se a IVG for despenalizada até às 10 semanas, a maioria das IVG´s será, desejavelmente, realizada nas primeiras seis a oito semanas.

Se uma IVG é uma boa ou má opção, só compete a cada mulher decidir, porque só ela pode garantir que a gravidez irá até ao fim.

A mim, cabe-me votar no dia 11 de Fevereiro para que elas possam decidir sabendo que não serão obrigadas à clandestinidade, e cientes de que não serão investigadas ou levadas a tribunal.

Evidentemente, votarei «sim» no dia 11 de Fevereiro.

Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2007


UPDATE 1 (observação):

Depois de praticamente ser impedido de entrar no Blogger fui compulsivamente "empurrado" para mudar para a versão Beta.
Esta versão é, a meu vêr e para já, uma grandecíssima "caca".

Como consequência, para lá de complicações surgidas no layout do Blog que procuro averiguar, aparecem aqui alguns amigos que estavam devidamente identificados e, inexplicavelmente, passaram a anónimos.

Do sucedido, a que sou totalmente alheio, peço desculpa.
Isto é o que se chama "andar de cavalo para burro!".


UPDATE 2 (observação):

Tudo indica que os erros (ortográficos e tornar os comentários anónimos) foram cometidos pelo Blogger aquando da transição para o Beta.
Os comentários posteriores á transição estão a sair bem... acho eu... lol.
Alguma anormalidade fico grato pela informação.

Obrigado,

34 comentários:

António Silva disse...

Estou minimamente informado mas se não estivesse seguramente que depois de ler esta explicação e as declarações do médico no link, não teria duvidas em votar sim.

Ekilibrus disse...

Votarei SIM. A Holanda despenalizou o aborto há mais de 22 anos e hoje é dos países onde se realiza menor número de abortos. A Irlanda mantém a criminalização do aborto e regista uma das maiores taxas de abortos. Só não vê quem não quer...
Cumprimentos

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Que posso eu dizer se os meus olhos não falam!
Transmitem emoções, a essa beleza inconfundível
Que as palavras me transmitem
Aqui estou eu para te dar o meu gesto de carinho
Soberbo...

Conceição Bernardino
Meus blogs http://amanhecer-poesia.blogspot.com

http://sentidos-visuais.blogspot.com

david santos disse...

Olá!
Sim.
Abraços.

Alexandre disse...

Ando a documentar-me mas a tua informação deu-me mais conhecimentos do que muitos artigos que tenho lido.

Tou a ficar elucidado.Obg pela informação.

Um forte abraço!!!!

Anónimo disse...

caro amigo,

Muito inteligente a maneira como expôs o tema e a sua opinião, do qual partilho na íntegra.
Uma opinião que Jorge Almeida{presidente da JS ILhavo/]também partilha, pois pode ler o seu artigo de hoje, que ele próprio publicou no meu blog BD, como membro que é, Para além de estar no movimento do Sim por Ilhavo do qual me encontro.

Abraço e é sempre um prazer ler seus artigos, sempre bem ilustrados e fundamentados.

PSousa

SaltaPocinhas disse...

nem devia ir a referendo um assunto que é do foro intimo de cada um...

Jonice disse...

A clandestinidade é que é realmente o problema, pois quando a decisão de uma pessoa é pela interrupção da gravidez não é por não estar amparada pela lei que ela deixa de praticá-la. E o faz nem sempre nas melhores condições médicas ou sanitárias. A legalização não faria aumentar a prática, apenas a humanizaria. Acredito que quem toma esta decisão, o faz baseada em bom-senso, que é o que realmente conta para tudo na vida.

Beijinhos

Anónimo disse...

Mostardinha,
um bom fim de semana pra você também.
Beijos.

Anónimo disse...

Olá!
Vim aqui ter via «Ai o Camandro» e gostei muito desta fundamentação: clara e directa.
Vou «COPIÁ-LA» para o meu blog (com a 'devida vénia' é claro!).

Anónimo disse...

Ora viva!
Aqui estou, trazido pelo "populo" e com muito gosto.
Esclarecedor, não era necessário ir por esta via, mas os "burrocratas" que nos desgovernam a isto nos trouxeram.
Sem dúvidas, vou votar: SIM

Augusto Marques disse...

Há que lutar contra a abstenção.
Só assim o SIM poderá vencer de forma clara.

Carla Ramos disse...

Como mulher não tenho dúvidas em defender o Sim no próximo referendo.
Penso até que isso deveria ser um assunto do foro íntimo da mulher.
Mas nós já sabemos muito bem como é quando os homens se metem em assuntos que lhes não dizem respeito.

Anónimo disse...

Votarei sim. Beijocas

Anónimo disse...

Caro Mostardinha,

Espero que os portuguêses usem do bom senso para votar no dia 11 de fevereiro. Impedir a legalidade de um abôrto não impede que ele aconteça, sabe-se lá em que condições.

Tenha um ótimo fim de semana.

Anónimo disse...

É uma excelente reflexão.
Cpts e Bfs

Anónimo disse...

Olá querido amigo:

Eu também votarei sim. Apelo, no entanto, para a responsabilização em cada caso.
Desejo-lhe um óptimo fim-de-semana.

Bjs.

melga meiguinha disse...

Claro que o que vai ser referendado é a despenalização.

Por isso voto SIM.

Beijocas.

tunico disse...

Se vivesse aí, votaria sim.

Aqui infelizmente, ainda é crime.

José Manuel Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Manuel Dias disse...

Viva!

Pelo vistos estamos com o mesmo problema. Será que podemos normalizar a situação?
Abraço

Daniela Mann disse...

Alberto, um fim-de-semana feliz!
Beijinhos

contradicoes disse...

A minha decisão já tinha sido tomada aquando do primeiro referendo e não alterei nem alterarei a minha intenção do voto no "Sim" a esta vergonha nacional. Os argumentos da outra parte não colhem.Espero que o comentário não saia com autor anónimo. Mas se tal acontecer assina
Raul do blog insinuações

Guilherme Roesler disse...

Mostardinha,

passo aqui para te desejar um feliz final de semana e que novo ventos soprem sua vida.
Alias, fomos sim empurrados para esta nova versão. Até agora estou meio complicado na hora de fazer os comentários. Não sei se ponho o nome ou se ponho o e-mail. Ainda está meio confuso.

Abraços, Guilherme

angel bar disse...

Olá José Alberto, excelente reflexão. Espero que elucide os indecisos e os que pensam votar pelo que efectivamente não sentem... Desejo um bom fim de semana.

Com o meu blog passou-se o mesmo, os comentários passaram a anónimos :(

Pata disse...

Oi Mostardinha
Sou a pata (caso eu apreça como anônima).
Este comentário é só para sabermos se já está normal.
Mas aproveito para te mandar um beijo.

Pata disse...

OK! Combinado.

Keikas disse...

eu votaria sim, ja tem muita gente neste planeta....
bom fim de semana pra ti
bjka

Saramar disse...

Querido, muito obrigada.
Sua participação, suas opiniões e o apoio do seu excelente e reconhecido blog são essenciais para o sucesso do nosso movimento.
Como um movimento aberto e apartidário, esperamos adesões de pessoas importantes como você, preocupadas com o desenvolvimento do país e dos seus cidadãos.

Quanto ao post, ainda tenho que ler e entender bem o que você explicou para opinar.Eu ainda não entendo bem essa questão do início da vida e do começo do ser. Apenas considero que entre a g~enese biológica e o surgimento da alma, há algum espaço de tempo, mas nem isso sei.
Creio que as determinações religiosas, biológicas e políticas o que fazem é tornar quase incompreensível um tema que poderia ser de fácil solução.
Porém, na minha condiçao feminina, considero que todos estão invadindo a mais íntima relaçao que existe: a da pessoa com seu corpo. E repudio, desde sempre essa invasão, independente das motivações, dos sentimentos e das palavras de ordem.

beijos e bom domingo para você

PSousa*Bancada Directa* disse...

Caro amigo,

Também tive o mesmo problema do blogger e tive que passar os erros que apareciam, no modelo a mão.
Não é muito benéfico para cliente, nem traz nada de novo, senão complicações.
Eu mesmo assim meti o modelo classico e assim tenho, apesar de ter que fazer dois login.

Abraço e vamos esperar por melhores dias.Bom FDS.

Patacoadas do Cleber disse...

Jam, também me empurraram o Beta Goela abaixo e estou com problemas parecidos com os seus... Mas o que importa é que o conteúdo do seu blog continua bacana e tornou-se uma importante referência para discussão dessa questão da despenalização do aborto. Abração
Ps: parabéns pelo novo visual do blog do Ricardo, ficou ótimo...

Arauto da Ria disse...

Caro JAM,
que se passa no seu canto?
Tem sido dificil comentar, será que estão a boicotar a nossa luta?
Com sabotagem, chantagem e tudo mais, o SIM vai ganhar, pois os portugueses não podem perder esta oportunidade de ser justos.
Um abraço.

Stella disse...

te parabenizo por essa tua luta lúcida

Ricardo Rayol disse...

Mostradinha, da cá do Brasil mando meu apoio. Espero que seja bem sucedido o SIM. Quanto ao novo blogger migrei sem muito estresse.