=====================

 

Ideias para Blogger

Mundo novo... sem poluição.

Written By Al Berto on segunda-feira, novembro 06, 2006 | segunda-feira, novembro 06, 2006

Começou ontem a ser construída a fábrica de painéis fotovoltaicos de Moura, que irá produzir os elementos para a maior central solar do mundo projectada para o concelho.

Esta estrutura está englobada num projecto global que inclui a construção e desenvolvimento de uma central fotovoltaica.
Com mais de 350 mil painéis encaixados em cerca de 10 mil estruturas distribuídas por 114 hectares, a central, passará a ser a maior do mundo, com capacidade instalada de 62 megawatts de produção, seis vezes maior que a actual número um em complexos do gênero, situada na Alemanha.


A fábrica de produção de painéis solares em si ocupa uma área de 23.500m2, com sete mil metros quadrados de área construída numa fase inicial. A sua construção estará concluída nos finais do próximo ano e permitirá oferecer equipamento fotovoltaico num contexto mundial em que a procura supera largamente a oferta.

Por outro lado na energia eólica os consórcios formados pela: EDP, Finerge, Generg, SIIF, TP-Térmica Portuguesa e Enercon; pela Galpenergia, Enersis e Martifer e também pela Iberdrola Portugal compraram as respectivas licenças estando já em funcionamento uma parte dos parques eólicos.
Recorde-se que o Governo abriu um concurso para a atribuição de 1500 MW de potência eólica.
O Governo prevê que o investimento em energia eólica ascenda, até 2010, a 3,8 mil milhões de euros.

A primeira energia elétrica produzida pela força do oceano começou a ser produzida a partir de outubro em Aguçadoura, na costa setentrional do país. A energia chega por meio de um cabo submarino que entra diretamente na rede nacional de distribuição da Eletricidade de Portugal (EDP).

Quando algums portugueses se mostram descrentes e pessimistas focando situações de alguma fragilidade económica em alguns sectores da população que, como sabemos, ainda que dispensável existe em todas as sociedades incluindo as mais desenvolvidas do planeta, nada como estas realizações para mostrar que Portugal está no bom caminho.

11 comentários:

António Silva disse...

já não era sem tempo.

Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Eu pensava que a maior do mundo já está sendo construída na Austrália ou está em finalização de projeto... Coisa assim...

No entanto pouco importa quem é a maior ou deixou de ser. Importa mesmo é apenas ser e acontecer!!!

Bonitinho o filminho dos aviadores, né??? Eu amei, pois sou piloto de carteirinha e voei muito em planadores no aeroclube do primeiro centro nacional de vôo à vela, que fica no estado mais ao sul do Brasil. Depois que vim morar em Florianópolis, troquei o vôo à vela pelo barco à vela... Afinal vivo numa ilha!!!

E a nossa aviação não anda mal Mostardinha... Mas os brasileiros no comando dos serviços, sim. Mas já estão se resolvendo e afinal não era sem tempo, pois temos uma das melhores aviações do mundo. Aliás temos muitas das melhores coisas do mundo e somos uma contradição: temos tudo para darmos muitíssmo certo, mas a verdade é que não conseguimos colocar em prática esse feito!!!

Uma ótima semana pra ti!!!
Beijo,
Cris

Anónimo disse...

Finalmente, mas é preciso mais, muito mais. Boa semana

veritas disse...

Olá José Alberto:

Ainda bem que estas iniciativas acontecem, porque o nosso país precisa, neste momento, de uma base mais forte, mais elevada, mais profícua, mais metacultural que o futebol.

Bjs.

Blogue da Magui disse...

Para vc que considera o português a última coca-cola do deserto, sugiro ir no blogue
http://almacigana.blogspot.com

José Alberto Mostardinha disse...

Não vou responder á Dona Magui porque há muito lhe retirei qualquer crédito dada a sua propensão para criar situações de conflito devido á sua persistente falta de respeito pelo que é publicado por cada um sabendo de que é livre no seu espaço de também defender as coisas que muito bem entenda e que pelos outros obviamente devem ser respeitadas.

No entanto sempre adianto que todos os portugueses, de Portugal, sabem, há muito, da "formação" e da "educação" de alguns dos residentes nas ex-colónias.
Não será nem nunca terá sido a mais correcta, bem pelo contrário.

Mas o que mais uma vez esta senhora quer dizer, e que torna as suas intervenções insultuosas, é que os portugueses são todos como essa gente quando eu, em particular, desprezo e me envergonho que á nacionalidade de Camões tais pessoas pertençam.

O que pretende dizer é mais ou menos como se eu visse os meus queridos amigos brasileiros pela bitola dos assassinos, traficantes, assaltantes, gente sem formação, etc. que há muito pululam pelo Brasil.
É francamente desolador tal forma de estar.
Esta senhora deve ter algum trauma, alguma má formação que a impele a intervir quando se defendem coisas positivas...independentemente dos protagonistas.

O que se pretende defender neste artigo não é sequer Portugal (há países muito mais desenvolvidos nesta área) mas sim uma iniciativa que todos os países do mundo deveriam ter na busca de soluções para a contínua destruição do planeta pelos altos índices de poluição provocada pelos combustíveis fosseis... NADA MAIS.

Confundir isto com qualquer tipo de chauvinismo é, no mínimo, estúpido e sem sentido e revela muito pouca inteligência.

Volto a deixar um aviso a essa senhora de que dispenso os seus contributos aqui neste espaço e que, para a próxima, verá os mesmo convenientemente apagados.

Anónimo disse...

Quando é para citicar, critica-se! Mas neste caso, há que dar os parabéns por certas iniciativas que se estão a tomar! E este caso das novas energias merece o nosso aplauso. O ambiente, afinal, é um bem que pertence a todos nós e aos que virão!

É bom, no meio de tanta crítica, saber realçar também os acontecimentos positivos.

Beijo grande.

Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba disse...

Volto novamente para comentar mais um pouquinho...

É que lembrei que da última vez que estive em porto Alegre, fui até Osório e pude ver o parque Eólico que lá está instalado e me imprescionei com o tamanho de cada uma daquelas torres... mas confesso que me senti muitíssimo bem ao ver que aquela é uma excelente solução e produzindo energia que dispensa a degradação do meio ambiente. Aliás, nesse sentido o Brasil está mesmo bem calçado e as industrias automobilísticas já comprovam isso, com os carros flex. Temos o biocombistível e o álccol num projeto pioneiro. temos muitas coisas boas, para equilibrar com outras tantas ruins...

Beijo,
Cris

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Cris:

Aprecio sobremaneira os teus comentários.
Digo-te isto, sinceramente, com muito respeito e carinho.
Vê-se neles que és uma pessoa bastante sensível para as coisas sensíveis da vida.

Sobre o que escreves quero dizer-te que a minha preocupação ambiental também me permitiu conhecer a realidade brasileira e os grandes passos, no sentido da preservação ambiental, que já deu.

Aliás qualquer passinho do Brasil nesse sentido equivale a muito do que este pequenino Portugal possa fazer.

Gostava de te dizer também a propósito disto e não só, de que nós, portugueses, temos um especial e sincero carinho pelo Brasil porque sabemos que é devido a ele que a nossa língua é das mais faladas no mundo pelo que vemos qualquer vitória ou progresso do Brasil também como uma pequenina vitória nossa.

Bjs,

Ricardo Rayol disse...

Mostardinha, não sei como manifestar minha congratulações a este feito da engenharia portuguesa. Parabéns.

Quanto a seus comentários lá em casa:

1) Acordo carau: um entra com a cara e o outro com o fiofó.

2) O Brasil é pródigo em encontrar respostas tecnológicas para atormentar seus cidadãos. Não duvide que vão fazer de nossa vida um inferno se passarem a lei.

Ricardo Rayol disse...

PS: Não é carau.. é caracu.