=====================

 

Ideias para Blogger

Já nem se podem dizer as verdades.

Written By Al Berto on quinta-feira, novembro 02, 2006 | quinta-feira, novembro 02, 2006

O senador e antigo candidato à Casa Branca John Kerry anunciou esta quarta-feira que se retirava da campanha democrata para tentar acalmar a polémica nascida de uma sua piada sobre o Iraque.

Os republicanos e os media conservadores criticaram duramente o ex-candidato à presidência a quem acusam de ter «insultado» os soldados norte-americanos em missão no Iraque.

Na segunda-feira, perante estudantes californianos Kerry dissera:

- É preciso aproveitar ao máximo os estudos, estudar muito, fazer os deveres, fazer um esforço para ser inteligente, para ter êxito (...) caso contrário, acaba-se enfiado no Iraque.

Esta sua piada, de muito bom gosto digo eu, desencadeou a ira dos conservadores a seis dias das eleições que se anunciam perigosas para os republicanos.

O George W. Bush entrou na disputa e exigiu desculpas do seu adversário nas presidenciais de 2004.

«Sugerir, como fez o senador, que os homens e as mulheres do nosso exército são por assim dizer incultos é insultuoso e vergonhoso», insistiu Bush.

Pela primeira vez até tenha acertado pois no meio de toda a embrulhada que criou o supremo-inculto é ele.


12 comentários:

Nelson Peralta disse...

Por norma não me agrada a utilização do termo cultura para definir a capacidade intelectual, já que pode levar a conflito com o significado dos padrões de uma sociedade.

Semântica à parte, devo dizer que a instituição militar se baseia no obedecer sem questionar e apenas porque se deve obedecer. O pensamento e a consciência crítica levariam a que tal instituição tivesse um funcionamente inviável.

Assim sendo as declarações do Kerry parecem-me bastante sensatas. Não que os militares sejam "burros" mas que são treinados apenas para obedecer.

Cfe disse...

Mostardinha,

Dependendo do ponto de vista, os dois lados estarão certos.

De fato os bem preparados intelectualmente não vão para o US Army.

Por outro lado, várias pessoas desfavorecidas utilizam a carreira militar para melhorar socialmente, o que deve ser respeitado tambem.

Mas eu só estou comentando porque queria dar uma alfinetada:

KERRY PODIA DIZER A MESMA COISA, MAS TROCANDO A CARREIRA MILITAR NOS EUA, PELA PRESIDENCIA DO BRASIL

Estudem, Estudem senão irão virar presidente!

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Ando sem tempo e a fugir
Mas vim desejar-te
Um dia a sorrir...

Beijos e bom fim de semana

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Cfe:

Boa, realmente com muita propriedade... em relação ao Brasil.
Já em relação ao Kerry o que ele queria dizer era que a "embrulhada" que o Bush aprontou está para estar, pelo que os tais jovens bem podem crescer que, se não estudarem e poderem optar profissionalmente, é lá que vão parar.
Um abraço,

veritas disse...

Olá!

É inegável que esse Presidente dos Estados Unidos tem algo de bronco. Não é por acaso que se tornou numa fonte de inspiração para os que se dedicam aos cultivo de anedotas...

Bjs.

veritas disse...

Perdão...queria dizer ao cultivo...

Anónimo disse...

Como eu gostei do teu post!
Eu também não simpatizo nada com o presidente norte-americano.
O que ele fez ao Iraque é imperdoável!
Não suporto que uma nação se ache no direito de julgar e governar os outros!

Beijinhos.

Valter Abrucez disse...

Não sou muito "letrado" sobre a história americana, mas me faz ter coceiras a idéia de que, do ponto de vista intelectual e sob inúmeros outros aspectos, Bush está para os Estados Unidos como Lula está para o Brasil. E ambos se reelegeram.
Abraços, caro Mostardinha.

Anónimo disse...

Eu acho que o Kerry não faz muita diferença do Bush :)
venha o diabo e escolha...esses americanos, qual deles o melhor !

Bj**

Stella disse...

ele disse a verdade
fato raro em um político

Ricardo Rayol disse...

Considerando que o americano médio é um néscio intelectual acho que o dileto senador foi até magnânimo.

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Ricardo:

Concordo contigo, os tipos só ficaram a saber onde era o médio-oriente depois das torres terem caído.
Um abraço,