=====================

 

Ideias para Blogger

O PREC, de má memória, ataca de novo.

Written By Al Berto on terça-feira, outubro 17, 2006 | terça-feira, outubro 17, 2006

José Sócrates, apesar de liderar todas as sondagens de opinião como o lider político mais popular em Portugal, foi recebido na Madeira, Évora e Coimbra com protestos contra as políticas do Governo, nas áreas da Educação e em alguns sectores da Saúde.

O PREC (Processo Revolucionário Em Curso) de má memória ataca de novo.
Parece não existir dúvidas de que um padrão de comportamento, certamente comandado por alguma organização, eventualmente ligada ao PCP, que era quem, após a Revolução de Abril, quando a Democracia não se tinha consolidado, utilizava muito essas formas de intimidação extrademocráticas, de perturbação do funcionamento da economia do país.


O "arrebanhamento" de descontentamentos sectoriais, que sempre existem em tempo de reajuste económico, está a ser mais uma vez usado pela oportunista máquina comunista que, defensora que é da "política de terra queimada", não olha a meios para atingir fins.

Mas há muito que são conhecidos dos portugusese que, repetidamente, lhes têm mostrado, em eleições democráticas, o seu diminuto "peso" político.
Á falta deste utilizam o oportunismo de sindicalistas que há mais de 30 anos nada mais fazem do que andarem a "coçar" as cadeiras dos sindicatos.
São sempre os mesmos.
Os mesmos que há muito deixaram de trabalhar para o enriquecimento do país e o seu bem estar social do género... "olha para o que eu digo mas não olhes para o que eu faço".

Como pode um sindicalista saber o que é preciso defender numa classe profissional se, da sua orgânica de funcionamento, nada sabe há mais de 30 anos?

Esta situação fez-me lembrar um dizer popular:
Os cães ladram e a caravana passa.

De facto quantas vezes o nosso trabalho, feito com a melhor das intenções, mesmo que imperfeitamente ou sem atender ao gosto de todos, mas dentro de nossas possibilidades, sofre críticas injustificadas e, principalmente, feitas muitas vezes às escondidas, como se pretendesse evitar a verdade.

A menos que a crítica seja verdadeiramente reflectida e fundamentada, ou da qual possamos tirar algum proveito para o aperfeiçoamento de nosso trabalho, devemos prosseguir trabalhando, pois se perdermos tempo ocupando-nos com as críticas oriundas de quem está de braços cruzados, perderemos oportunidades preciosas de progresso, além de cairmos no jogo destruidor do desânimo que desmotiva e paralisa as nossas forças.

21 comentários:

Cfe disse...

Agora imaginem: um partido político dominado de raiz por sindicalistas habituados a eternarem-se no poder. Golpes baixos, dinheiro sujo, desvios e desmandos. A agremiação da estrela é o exemplo disso.

Não admira que façam tanta trapalhada, pois não imaginam a complexidade que o Brasil é.

Alem dos sindicatos urbanos, existem os rurais como o MST, que arregimenta pessoas em busca de terra, ainda que não saibam o que seja uma galinha. Essa organização ministra aulas em espanhol para melhor compreender-se os pensamentos e citações de Che Guevara, comemora datas como a da revolução comunista na Rússia e outras sandices mais. E os melhores vão para Cuba ( talvez para tirar doutorado em baderna e confusão). Huguinho Chavez já declarou, no Paraná, que Stédile (lider dos sem terra) é o verdadeiro líder da esquerda mas que por hora é a vez do Lula.

veritas disse...

Olá José Alberto:

Um post muito oportuno ... enquadrado na greve de professores que cumpre hoje o seu primeiro dia...

Bjs.

Kafé Roceiro disse...

Muito bom texto amigo! Verdadeiramente oportuno e atual.

Ekilibrus disse...

Muito bem, meu caro amigo,
Com alguém já disse no passado recente "uma socieddade para ser justa deve basear-se em responsabilidades antes de reclamar os direitos". Para que os quantos ganhem mais ( penalizando o OGE, que o mesmo é dizer todos nós) que a larga maioria, sacrificam-se as gerações mais jovens, remetendo-lhes dívidas...
Haja equilíbrio, é o que se espera de todos, designadamente dos professores.
Cumps

JotaCê Carranca disse...

Tirando todas as teorias economicistas onde se enquadra o caracter social deste gorverno portugês?
Para mim é a grande falha deste governo que tanto me parece CDS como PSD, porque mudando as personagens, não vejo diferenças.

José Manuel Dias disse...

José Alberto,

Seria curioso confrontas as exigências de alguns Grupos com a realidade do nosso Orçamento. Metade da riqueza produzida é consumida pelo Estado. Quem suporta a despesa púbilca ? Os contribuintes, por via dos impostos. Quem mais reclama? Os funcionários públicos. É preciso conter a despesa pública para garantirmos um Estado social que possa ajudar quem mais precisa e quando mais se precisa. Convido-te a ler o meu post sobre esta matéria.
Um abraço

Luna disse...

Sabes que não gosto de comentar, sobre politica, mas neste momento que estou a comentar estou a ouvir as noticias, e é revoltante, que é só aos pobres que lhes tiram já o pouco pão que podem comprar
beijos

Kalinka disse...

Olá J. A. Mostardinha

Bem...quem fala assim...
Pois é, este post está «au point».
Com o País ao rubro, devido às mais recentes notícias...e, à Greve de 2 dias dos Professores, dá que pensar no que escreveste.

Mas, li qualquer coisa para trás, sobre EuroMilhões, etc...e tal, eu queria saber se também tenho direito a entrar no barquito para o «Cruzeiro no Mediterrâneo»???
Beijokas.

Guilherme Roesler disse...

Mostardinha, meu amigo, muito obrigado pelos endereços. Te devo duas.

Abraços, Guilherme

Stella disse...

vez por outra na europa ressurgem esses dinossauros fingindo ter como prioridade o povo.
como se diz na Italia: tutto il mondo è paese!

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

hoje... não kero pensar no mundo á minha volta...
hoje tirei o dia para pensar em mim ;)
beijinhos

Anónimo disse...

Olá José Alberto.

É sempre bom visitar seu espaço.
Por aqui estamos em época de eleições. Uma baixaria total.

Prefiro só colocar música no meu Blog.

Ando cansada de tudo no momento.
Beijos
Juninha

http://www.junimani.blogger.com.br

Anónimo disse...

Adorei o seu texto, mas ando triste coma movimentaçao partidaria tucana.

Isabel disse...

Muito bom o teu texto, fez-me sentir acompanhada. Descançei deste extremo cansaço em que ando por fazer o meu trabalho e de mais alguns sindicalistas, filiados no partido, e mais ums quantos revolucionarios que querem melhorar o país as empresas e as suas próprias condições de vida não trabalhando. Sem antes é claro se informarem no sindicato até onde podem ir sem ser prejudicados, e ai bem aconselhados boicotam o trabalho obrigando outros como eu a fazer o trabalho de três ou quatro pois sem que so se melhora um pais com trabalho.
Desculpa o desabafo mas estou tão cansada dos revolucionários por perguiça.

Beijinhos.

Isabel

Passarim disse...

Mostardinha,

Se ele vem ao Brasil, aprender fazer política com os colegas sindicalistas de além mar, vocês passaram a correr perigo de fato. Para os daqui, os fins justificam os meios. E os meios usados aqui são ante éticos. Leia só esta: Olha o bode ai. Apesar de amigo, companheiro, ele é cabeludo, é bode velho, pé duro e mal cheiroso que estava na ante-sala do Gabinete do Presidente Lula. Mas o bode é tão mal cheiroso que até agora não arranjaram ninguém, nem para expiar o maldito bode. Por isso o Presidente Candidato tem dado expediente extra no Planalto. O problema é que enquanto o bode não fedia, era bem tratado por Lula e sua turma. Agora o bode, mau tratado e sentido saudades do seu criador Lula, onde tinha bom pasto no Planalto, onde atendia diariamente, teve seu sigilo bancário quebrado pela CPI. Eta bode danado, digo estimado.Abs Jarbas

CarpeDiemBeHappy disse...

Muito bem enquadrado este texto!

Pena o País não estar tão bem como a foto do Sócrates;)

Beijinho!!

JotaCê Carranca disse...

Mas então o autor deste blog entrou em PREC (Processo de recusa em escrever cá)?

Jorge Sobesta disse...

Caro Mostardinha,

Pesquisas forjadas, sindicalistas, não saber e não fazer... Parece que temos mais em comum do que a língua-pátria.


Um grande abraço.

Ricardo Rayol disse...

Parece muito com o que acontece aqui nas plagas brasilis. E também na Venezuela, Bolóvia .... intimidar e criticar sem ter o bom senso para apresentar alternativas é muito fácil.

migas (miguel araújo) disse...

Meu Caro Mostardinha
Esta foi na Mouche.
Sempre foi a vião que tive dos sindicatos (e já lá estive, portanto sei do que falo).
Os sindicatos não defendem os trabalhadores. Não defendem o país.
Defendem os maus trabalhadores em prejuízo dos bons.
Seguem as orientações políticas de quem os suporta.
A guerra sempre alimentada entre trabalhador-patrão, é a outra questão quea mim sempre me fez espécie, nessa bandeira sindicalista.
Uns e outros dependem de uma relação estreita. Só os sindicatos entendem que os patrões são os maus da fita.
Cumprimentos

Arauto da Ria disse...

Caro Zé Manel,Eu concordava contigo se o Sócrates, começasse com as reformas de apertar o cinto, por ele e seus ministros e os amigos que colocou como administradores (Vara e gomes do Porto) e muitos mais a ganhar milhares de euros e uns tantos tachos que arranjou a amigos tão principescamente remunerados. Será que estes não são muito mais importantes para ele do que o Povo?
Caro Zé Manel, não estará a ser fundamentalista demais, o Alegre e até a Roseta seus camaradas não têm
a mesma opinião e até são muito criticos com o Governo. Neste momento não será no seio do seu partido que o governo tem a mais perigosa oposição. A politica deste Governo, será de direita ou social-democrata deste País, que no fundo é de direita.
Pense amigo, pense e um abraço.