=====================

 

Ideias para Blogger

MoverAveiro...com mais eficiência.

Written By Al Berto on segunda-feira, maio 29, 2006 | segunda-feira, maio 29, 2006


Para bem dos munícipes de Aveiro a Câmara Muncipal tem a oportunidade, através de propostas de investimentos no concelho, de potenciar um "pontapé na crise" e lançar bases para um progresso mais efectivo da região.

Por outro lado no que diz respeito á MoveAveiro tem a oportunidade de atenuar mais um encargo que, pelas contas apresentadas, contribui para o aumento do deficit municipal.

Assim,

"...A STAL, pela voz de António Pires, já manifestou a sua discordância. «Fomos contra a criação da empresa municipal e agora seremos contra a privatização», garantiu ontem ao Diário de Aveiro.

O sindicato soube do interesse das firmas estrangeiras na MoveAveiro «pelos jornais». A notícia deixou os trabalhadores da empresa municipal inquietos. «Já começa a haver agitação e vários funcionários já me telefonaram a pedir esclarecimentos», adiantou."...

Verificamos que isto causou grande preocupação nos seus funcionários e, bem vistas as coisas, o contrário é que seria de estranhar.

Não se percebe bem é as razões de tanta preocupação.

Pelo que foi dito não há nada como deixar as coisas sempre como estão...desde que o "pessoal" se vá safando...á custa do munícipe...que somos nós todos.

- Se a sua preocupação é porque terão de trabalhar a outro ritmo...é provável;
- Se a sua preocupação é porque terão de ser mais responsáveis...é provável;
- Se a sua preocupação é porque terão de ser mais simpáticos com os utentes...é provável;
- Se a sua preocupação é porque onde fôr preciso um funcionário não estarão 5 ou 6...é provável;


Enfim, se a sua preocupação fôr porque terão de ter uma maior e melhor rentabilidade...é muito provável.

Nem seria de esperar outra coisa.

Mudemos as mentalidades para que Aveiro progrida e se afirme como a cidade de futuro que todos queremos.

10 comentários:

BaD disse...

Oh meu caro amigo! Estou agradavelmente surpreendido com o teor deste seu post! Permita-me dizer-lhe que subscrevo por inteiro!
cumprimentos

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Carlos Martins:

A sua surpresa só pode acontecer porque o meu amigo me não conhece bem.

É que para mim - á frente das ideologias políticas quaisquer que eles sejam - os princípios da cidadania, da verticalidade, da verdade, do progresso social, etc. estarão sempre em primeiro lugar.

Estes não se aprendem nas "cartilhas" políticas mas sim através da sua vivência diária.

Para o meu amigo vai o voto de que nunca deixe condicionar o seu pensamento por essas "cartilhas".

Leia o meu post:
http://estadosgerais.blogspot.com/2006/05/procriao-medicamente-assistida.html#comments

e constate o que é independência intelectual relativamente a uma matéria candente do nosso tempo.

Porventura aqui já o Carlos Martins não esteja de acordo...e isso acontecerá porque porventura já lhe condicionaram o pensamento.

Um abraço,

veritas disse...

Ainda bem que pensa assim! Porque a verticalidade, rectidão, senso de justiça tem que estar sempre à frente de tudo!

Cumprimentos.

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Veritas:

Eu não penso...pratico, alíás sempre tenho praticado ao longo da minha existência.

Cumprimentos.

BaD disse...

Caro Jose Alberto Mostardinha,

De facto, o post do qual colocou aí o link é ligeiramente diferente deste aqui comentado. Não por discordar completamente dele, mas incluir uma alusão a erros da Igreja Católica (inegáveis) mas que não são - em minha opinião - argumento válido para a discussão do PMA. Alias, mesmo que fora de tempo e com motivos pouco esclarecido, o grupo de cidadãos que entregou a petição à AR queria isso mesmo: discussão pública.

cumprimentos

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Carlos Martins:

O que quis pôr em evidência é que as mesmas pessoas que argumentam uma hipotética colocação em causa da vida humana por causa da PMA são as mesmas que "vêm a arvore e não vêm a floresta", isto é, não têm argumentos para um passado violento e que ceifou milhões de vidas em todo o mundo.

Usam e abusam de populismo falacioso e demagógico no presente com argumentos ultrapassados e pouco sérios á luz da história.

O Carlos acha, em consciência e de forma séria, que a generalidade dos cidadãos está culturalmente preparada para discutir a PMA?

BaD disse...

Essa sua última afirmação é grave, mas cheia de razão. Cheia de razão, porque evidentemente que não. Nem esse assunto, nem muitos outros. Mas grave porque não estando preparados para discutir nem esse nem tantos outros assuntos de importancia vital para o País, estamos a por em causa o próprio sistema democrático, pois é essa grande maioria de pessoas que, em última análise, decide sobre quais as políticas a implementar...

Fica o pensamento para reflectirmos...

José Alberto Mostardinha disse...

Boas Carlos Martins:

Assim é de facto.

Um regime democrático é mais ou menos forte consoante a cultura do seu povo.
Democracia significa participar e isso só poderá ser exercido com conhecimento, particularmnete em áreas tão sensíveis como é esta.

Mas aqui surge a questão que deu origem ao meu post.
Sabendo nós que assim é como é possível que pessoas que se presumem sérias tomem uma atitude que é a negação desta constatação?

Nestas circunstâncias, e porque todos os povos têm direito a viver em democracia independentemente do seu grau de cultura, o processo é respeitado através de eleições democráticas.

Os legítimos representantes desse povo têm a representatividade democrática necessária e suficiente para discutirem e aprovarem, em consciência, as medidas que julgarem necessárias.

É esta a verdadeira essência da democracia, á esquerda, á direita ou ao centro.

Querer fazer aprovar ou reprovar leis fora deste quadro, só porque se não tem momentâneamente a maioria, não é correcto e destina-se somente a lançar a confusão.

Cumprimentos.

BaD disse...

A nossa diferença aqui reside no facto de eu não pensar que a petição tenha vindo no sentido de criar confusão, mas antes de criar discussão esclarecedora. Embora saiba em todas estas acções ha sempre algum uso de expedientes com intenções diferentes das anunciadas. Quanto à parte da democracia estamos de acordo.

Cumprimentos

José Alberto Mostardinha disse...

Caro Carlos:

Gostei desta troca de opiniões.

Quem dera que muita juventude fosse como você.

Pela sua participação neste pontual confronto de ideias só posso dar-lhe os meus parabéns.

Deixe que lhe diga, sem menosprezo para outros que não conheço, que tenho dúvidas que grande parte do "pessoal" da sua idade tenha a sua preparação.

Bem haja e continue assim, debatendo de forma aberta e, sobretudo, sempre aberto a novas opiniões...democráticas.

Sinceros cumprimentos.