=====================

 

Ideias para Blogger

Relembrar o campeão.

Written By Al Berto on sábado, abril 14, 2007 | sábado, abril 14, 2007


A justiça italiana considerou o director-técnico da Williams em 1994, Patrick Head, responsável de homicídio por negligência pela morte de Ayrton Senna.

Como todos sabemos faleceu num acidente no Grande Prémio de São Marino e a sentença proferida esta sexta-feira refere que a causa do acidente foi a ruptura da barra de direcção, causada pela modificação mal projectada e executada, conduzindo a um comportamento negligente e omisso de Patrick Head, já que o acontecido era previsível e evitável.

Esta é a segunda vez que o Supremo Tribunal de Itália se pronuncia sobre a morte de Senna, depois de já ter emitido um veredicto, em Janeiro de 2003, no qual anulou as absolvições do director técnico e do projectista da equipa na altura. Isto porque considerou haver falhas nas absolvições ditadas pela Justiça de Bolonha, em Novembro de 1999.

Acompanhei as carreiras dos melhores pilotos de Fórmula 1 desde Emerson Fittipaldi, Niki Lauda, Nelson Piquet ou
Alain Prost.
Destes, e para mim, Ayrton Senna foi claramente o melhor... dos melhores.
Até hoje não teve adversário á sua altura.
Só mesmo a morte o poderia impedir de cortar a meta em primeiro e, aí, haveria um alemão que teria passado ao lado duma grande carreira.

Nunca mais liguei á Formula 1 como até então.

Fonte: Ansa

10 comentários:

Carlos Tavares disse...

Sem dúvida um grande campeão.

Ricardo Rayol disse...

Junto-me ao seu desabafo. Nunca mais olhei a F1 como antes.

Pata Irada disse...

Mostardinha

Foi uma grande tristeza para todos nós. Não dá para esquecer aquela manhã de domingo. Não parecia verdade, parecia que a qualquer momento iriam dizer que ele estava bem e se recuperando, mas não.
Foi uma coisa horrível o que aconteceu e nada que se faça vai trazê-lo de volta.
Serve apenas como um alerta para que sejam mais cuidadosos e façam seus trabalhos com mais seriedade, apenas isso.
Um beijo.

Pata Irada disse...

Gostaria de saber se aquele três passarinhos que estão voando na foto do por de sol sempre estiveram ali.
Acho que não etavam ali não.
Já estavam?

Kafé Roceiro disse...

Amigão,
Sem dúvida ele foi demais! Sodade docê lá na roça. Tô de vorta!

Lana disse...

Krido Mustardinha
aquele alemão de que falas parece-me muito arrogante e de facto eu tive o mesmo percurso que tu. Hoje em dia ( eu que até tive oportunidade de fazer uma corrida num bi-lugar de F1 no Estoril com o Matos Chaves e que adoro carros - em bora seja "naba" e mecanica ... eheheh ) não ligo pois perdeu O CAMPEÃO !
um sorriso muito luminoso e continuo fascinada com este teu Blog ( com um blog assim ... quem quer ir visitar o meu ... :) )
Lana

Pedro Link disse...

Caro Mostardinha!
No desporto as vitorias acabam sempre por distinguir as pessoas desportivamente.
No caso de Ayrton Senna, ele conseguiu mudar o estado natural das coisas uma vez que, alem de ter sido o maior na sua modalidade, conseguiu ser um homem com uma postura muito acima da media, todos sabemos, o quanto isso é difícil, no Mundo da formula um.
Quanto ao Alemão arrogante...
É óbvio que se Ayrton continuasse entre nós nunca teríamos ouvido falar noutro vencedor.
Comungo a tua ideia, nunca mais a Formula um para mim teve a mesma paixão.
Abraço e Bfs.

Guilherme Roesler disse...

Mostardinha, mesmo sendo bem pequeno na epoca de sua morte, lembro como se fosse ontem.

Triste cena.

tunico disse...

Sou aficcionado pela F1 desde os meus 14 anos(já se vão 40 anos). De 1966 a 1971, acompanhava pelos jornais e pelas reportagens da revista Quatro Rodas as vitórias de Jim Clark, Jochen Rindt,Jackie Stewart, a carreira do então jovem Fittipaldi que inaugurou o pragmatismo na F1.A partir de 1972 com o início das transmissões pela TV passei a ver todas as corridas aos domingos.Até hoje, só deixei de assistir 4 corridas. Em Interlagos fui assistir ao vivo o GP Brasil em 6 oportunidades.Mas nunca esquecerei a espetacular ultrapassagem de Nelson Piquet com Williams sobre Ayrton Senna com a Lotus no GP de Portugal.Senna foi o piloto mais técnico, mais completo.Se não tivesse morrido em Ímola teria estabelecido recordes inalcançáveis até pelo alemão.Mas, tricampeão por tricampeão, quem tinha melhor braço e mais garra era Piquet.Hoje a F1 é muito automatizada. Ganhou-se em segurança mas perdemos em emoção.Estão pensando a partir de 2008 abolir o controle de tração e em 2010 voltarem os motores turbo-alimentados. Quem sabe então voltaremos a ver os famosos "pegas" ?

Kalinka disse...

Amigo Mostardinha
Juro que por vezes receio vir visitar seu blog, pois há-de haver sempre algum assunto em que não estamos de acordo.

Ayrton Senna foi BOM, Nelson Piquet foi Bom, Alain Prost foi Bom e, Michael Schumacker foi BOM. Cada um à sua maneira foram merecedores das suas vitórias pessoais.
Porque será que, o facto dele ser «alemão» faça com que as pessoas o reneguem...e não lhe dêem o valor merecido?
Não posso concordar, o seu a seu dono...
Não aceito que para se falar bem de alguém, tenham sempre que falar mal de outro alguém, esta atitude é uma mesquinhez do povo português.