=====================

 

Ideias para Blogger

O regresso do "PREC".

Written By Al Berto on quinta-feira, novembro 09, 2006 | quinta-feira, novembro 09, 2006

Serviços, escolas, autarquias fechadas e hospitais a meio gás.
Estas poderão ser algumas das consequências da greve na Função Pública, marcada para quinta e sexta-feira por sindicatos que, agarrados a vicios velhos e manipulados pelo partido comunista, não dão a abertura necessária nas negociações como aconteceu em outros países que precisaram destas reformas para consolidar a sua economia e lançar o desenvolvimento como foi o caso paradigmático da Irlanda.
O cidadão/trabalhador comum, que se não pode dar ao luxo de ter um "patrão" tão "benemérito" é que aguenta as complicações para a sua vida resultantes deste abuso de posição.

A reforma em curso, que será uma realidade independentemente de haver greves ou não, é uma reforma a pensar nos funcionários públicos cumpridores, que têm um bom desempenho e demonstram dedicação ao serviço público.

O que os sindicatos querem é que tudo fique na mesma, ou seja, que não seja devidamente avaliado o seu desempenho e que os mais dedicados não sejam por isso recompensados.
Pretendem o nivelamento pela mediocridade que é como se encontra hoje a função pública portuguesa ao velho estilo "bolchevique" gerado no periodo "gonçalvista".


Por outras palavras querem que tudo continue assim:

13 comentários:

Stella disse...

é meu caro, sindicatos são dinossauros que devem ser extintos

Cristina disse...

Olá,
Passei para te deixar um beijinhu, estou com imensa pressa...mas adorei a música
:)
beijinhu

Didas disse...

Embora concorde que a Admin Pública está cheia de monos a viver à pala dos nossos impostos, tenho dúvidas sobre a eficácia do novo método. A ver vamos.
De qualquer modo não fiz greve.

veritas disse...

Sabe o que acho? Depois do 25 de Abril os sucessivos governos caíram no erro de deixar os sindictos mandar em diversos sectores da vida portuguesa. Agora chegou-se a um ponto dramático, em que ou se corta,ou é o desaire. mas os Portugueses não estão habituados a ver essa perspectiva, principalmente o funcionalismo público. Eu sei que existem muitos sectores em que o video que acompanha este post se enquadra, mas não vamos generalizar...como em tudo na vida...existem bons e maus profissionais...

Bjs.

José Alberto Mostardinha disse...

Olá Veritas:

Exacto, há excelentes profissionais na função pública e acredito mesmo que a maioria é composta por bons profissionais... o video não é para levar á "letra" e tão só para colocar um pouco de "descontracção" na intenção do artigo.
Bjs,

veritas disse...

Olá José Alberto:

Eu percebi isso, achei imensa piada ao video.

Bjs.

José Manuel Dias disse...

Caríssimo José Alberto,

Portugal anda em busca dum novo paradigma para a função pública. Pretende-se pôr fim ao "deixa-andar", ao "não te rales", à cultura do desperdício, ao facilitismo...para reafirmar valores como o mérito, a exigência, o serviço público, a competência e a responsabilização. A mudança não está a ser tarefa fácil. Já Maquiavel prevenia " Nada há nada mais difícil de levar a cabo...do que gerir uma nova ordem das coisas. Porque o iniciador tem a inimizade do velho sistema e apenas moderados defensores entre aqueles que ganharão algo de novo". Creio, no entanto, que a larga maioria dos portugueses percebe a bondade das mudanças e que os funcionários públicos competentes, a meu ver a larga maioria, compreendem a sua necessidade para assegurar um futuro melhor para todos os portugueses.
Cumprimentos

Ricardo Rayol disse...

Benvindo ao maravilhoso mundo da esquerda..

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Ricardo:

Meu bom amigo, agora já compreendo a tua intenção como "canarinho", mas... corres o risco de ser mal interpretado cá por terras da Lusitânia.
Por cá ainda há esquerda e direita... felizmente, digo eu.

Aqui não é a esquerda nem a direita que estão em causa.
Aliás cada vez mais existe o consenso de que há várias esquerdas bem como várias direitas.

O que se pretende falar aqui é de competência e de incompetência, de responsabilidade e de irresponsabilidade.
Ora estes atributos são comuns a ambos os espectros políticos.


Um abraço,

Guilherme Roesler disse...

Mostardinha, sindicatos sempre são um problemas às leis mais progressistas. Sempre estão com a ideia de exploração e coisa e tal. Agrande prova é essa. Abraços, Guilherme

Ekilibrus disse...

O Governo socialista, apoiado numa maioria absoluta conferida pelo povo português, procura racionalizar o a aparelho de Estado, contra a vontade de uma minoria, de incompetentes e detentores de privilégios injustificados, que com o apoio do PCP e o beneplácito da direita, procuram obstaculizar as mudanças necessárias. Portugal é uma nação com grande passado e, com este Governo e este Presidente, vai ter um grande futuro. A direita é passado, a esquerda moderna é futuro. Os portugueses sabem que estas medidas são como os remédios o que conta não é o sabor é o resultado.
Abraço

Susana Barbosa disse...

... grandes verdades!

Um abraço

Cfe disse...

Caro Mostardinha,

Uma confusão corrente no Brasil e em Portugal: as pessoas julgam que as posições políticas doutras nações são iguais as de seu país. Transpõe a visão que tem para outras paragens.

No atual panorama, o povo no Brasil nivela as esquerdas européias ao PT de Lula!

Quem dera um José Sócrates no Brasil...

Pensando bem acho que não seria eleito: é inginheru.