=====================

 

Ideias para Blogger

Basta de oportunismo.

Written By Al Berto on quinta-feira, julho 20, 2006 | quinta-feira, julho 20, 2006

O Clube do Povo de Esgueira está «disponível» para participar na próxima edição da liga profissional de basquetebol, depois de conhecida a desistência do Aveiro Basket.

No entanto, a entrada do clube esgueirense na principal competição nacional, pelo que foi dito pelo seu presidente, está depende da angariação de apoios, nomeadamente por parte da Câmara.

Mas isto é incrível e, como aveirense, fico completamente estupefacto com a atitude deste senhor que, de aveirense, deve ter muito pouco.

- Mas o que é que a Câmara Municipal de Aveiro tem a ver com um clube profissional de basket?

- Que é que pretende esse senhor, sabendo da sua situação financeira, ao pressionar a CMA para mais subsídios a actividades desportivas profissionais?

Se ele pretende participar na Liga Profissional que o faça.
Se pretende patrocínios que os arranje.

Os aveirenses já estão fartos destas ligações entre a CMA e várias modalidades profissionais de clubes da cidade que só lhe têm trazido prejuízos sérios, contribuindo para o aumento do seu passivo o qual, por sua vez, é limitativo do desenvolvimento das tarefas para as quais uma Câmara Municipal deve estar orientada.

Acabe-se de vez com esta promiscuidade entre acção política camarária e desporto profissional.
Os aveirenses agradecem pois merecem mais e melhor.

9 comentários:

AC disse...

Já não bastava a promiscuidade entre política e futebol, tende agora para outras modalidades profissionais, ou seja, mesmo que não gostemos, teremos de pagar. Só pela forma como o assunto é exposto, ficamos logo entendidos.
Cpts.

thesarcasticway disse...

Zé Alberto meu caro companheiro de blogosfera...

Deixe que lhe digue que de certa maneira concordo com o que expressou no post...
Chega de barracas, chega de barraquinhas, chega de meter dinheiros publicos em actividades megalómanas como foi o Aveiro Basket e como vai ser seguramente esta possivel ida do Esgueira para a liga profissional.

Concordo, querem participar, arranjei meia duzia de mecenas que assegurem a época desportiva ao nivel das despesas...
Olhe-se o exemplo do São Bernardo, inscreveu-se na Liga Profissional de Andebol, arranjou um mecenas, a Liberty Seguros...

Este cenário já me é familiar em Águeda com a Académica de Águeda que recebia imagine-se 8 mil euros mensais de patrocinio camarário, e com muitas das associações desportivas e Recreativas do meu concelho que quanto mais tem, mais vão reclamar ás Assembleias Municipais.

Agora, desportivamente falando, acho ridiculo a zona de Aveiro com tantos clubes de Basket celebres como o Iliabum, o Esgueira, o Galitos e o Sangalhos não terem um unico na Liga Profissional de Basquetebol cabendo exclusivamente as honras do nosso distrito muito bem representadas pela Oliveirense e pela Ovarense, iguais potências na prática do Basquetebol...

Abraço!

migas (miguel araújo) disse...

Viva
Eu estava a treinar no Esgueira (CPE) quando se deu o processo do Esgueira Basket, assando mais tarde a Esgueira Aveiro Basket, para terminar em Aveiro Basket (e acabar a jogar em Mangualde!).
Sempre fui critico em relação ao projecto, por inúmeras razões que me levavam quase a escrever um livro (salvo seja).
No entanto, também não queiramos "tapar o sol com a peneira" ou "sermos mais papista que o Papa".
O processo foi abraçado pela própria CMA (antiga). Não houve qualquer tentativa de colagem por parte do Esgueira ou dos outros Clubes accionistas (quase que "à força", na altura do arranque do projecto).
Principalmente por isso, por nunca ter existido um congregar efectivo de vontades de todos os intervenientes, o projecto nasceu torto e nunca mais se endireitou.
No entanto... ao referir-se a questão da participação da CMA no profissionalismo, meus caros companheiros, sejamos, no mínimo justos e coerentes. Porque raio pode o Beira Mar (futebol), o S. Bernardo o Galitos (remo) exigirem e reinvidicarem as devidas dividas dos eventuais protocolos e o Esgueira, que foi o que desportivamente hipotecou o seu projecto cedendo o seu lugar ao Aveiro Basket, não pode vir agora sentir-se no mesmo direito?!
Termino dizendo que, no entanto, acho que a Câmar deveria rever todo o seu processo de subsidiação. Não só ao desporto, como à educação, à acção social e à cultura.
O País e Aveiro têm que deixar de ser subsidiodependente.
Pela nossa saúde e pela clareza e justiça nos processo.
Cumprimentos a todos vocês

José Alberto Mostardinha disse...

Viva Miguel:

Pelos vistos exigirem todos podem...a CMA é que, na minha opinião, não deveria anuir a essa exigência.

É, no mínimo, vergonhoso que qualquer entidade profissional reclame subsídios para a sua actividade.

Além de que há muito "boa gente" que, á custa dos mais diversos expedientes, vive á "sombra" desses subsídios e daí "colarem-se" ao desporto.

Mas sobre isto já todos estamos "carecas" de saber.

Um abraço,

migas (miguel araújo) disse...

Mostardinha
Um "á parte".
Concordo inteiramente. Até porque a dos carecas estarem fartos de saber... é connosco, não?!
Lolll

BaD disse...

Meus caros amigos,

Eu percebo a vossa posição. De facto não faz sentido que a CMA apoie o basket profissional, assim como não faz sentido que apoie o futebol. Se são modalidades profissionais, devem ser auto-sustentáveis. SEmpre foi a minha posição.

Agora, acho pouco crível que a CMA depois de se ver livre do Aveiro Basket precisamente nestes pressupostos, esteja agora na disposição de apoiar financeiramente outra equipa. Até porque nao faz sentido nenhum preferir apoiar um clube em vez de uma SAD na qual participava...

Um ligeiro reparo ao nosso amigo de Agueda: mecenas apoiam a cultura, não o desporto. A Liberty SEguros até ser mecenas, mas no S.Bernardo é patrocinador, e se não estou em erro, é inclusivamente investidor. E é precisamente disto que se precisa no desporto profissional.

Dizer que é ridículo não haver nenhuma equipa da cidade na Liga, também me parece exagerado. Ninguem gosta e defende o basquetebol como eu, e no entanto vejo isso mais como uma infelicidade e uma consequencia do basket de Aveiro que um ridículo. Há coisas bem mais importantes.

Ridículo é clubes accionistas de uma SAD andarem a tentar traçar os seus proprios caminhos paralelamente nas equipas seniores, inclusivamente tentando chegar à Liga. Ora, isto é tentar concorrer contra si proprio, já são accionistas da SAD...

Também acho manifestamente exagerado criticar o Presidente do CPE. Está a tentar defender a sua instituição, naturalmente. A CMA não deve é ceder a estas pressões.

Em suma, há muito a mudar no desporto em Portugal...

Cumprimentos

José Alberto Mostardinha disse...

Vivam:

...e onde os meus caros amigos vêem defeitos eu vejo virtudes.

Aveiro (e Ílhavo), através das suas equipas de basket pode, e deve, promover a sua a prática amadora.
É muito mais interessante ver os jogadores aveirenses, e apoiá-los, do que estar a apoiar americanos e quejandos sem um pingo de qualidade e a levar os respectivos clubes á falência.

Aliás o melhor periodo do basket em Aveiro foi precisamente quando essas equipas tinham, no máximo, um/dois americanos.

Um abraço,

thesarcasticway disse...

Caro arqui-rival\amigo Bad ( Carlos Martins):

Penso que a Liberty ( mas posso estara entrar em erro) no São Bernardo é apenas patrocinador porque lembro de ler num jornal desportivo há 2 meses atrás que apenas seria patrocinador por 3 épocas, tal como efectivamente faz com a equipa de ciclismo profissional LA\Liberty, penso que por um periodo de 5 épocas...

Outro reparo, caro Carlos:

Diz-se no mundo dos pensadores que se considera cultura todo o esforço de trabalho e criação humana... o desporto foi criação humana, logo deve ser nesta óptica considerada cultura... logo existem mecenas... homens de uma larga riqueza que ( neste caso no âmbito do desporto) custeiam as despesas da prática desportiva em doacções monetárias a fundo perdido... obviamente...

Quanto á problemática suscitada pelo meu comentário acerca da não inclusão de nenhuma equipa Aveirense na Liga Profissional de Basquetebol, retiro efectivamente o termo " ridiculo" e coloco o termo " desprestigiante" não por causa da nega camarária às associações desportivas( penso que nem a Camara de Ilhavo, nem a de Anadia, de certeza teriam capacidade para suportar um esforço monetário e logistico tão grande para levar o Sangalhos ou o Iliabum á LPB) mas desprestigiante aos membros dirigentes desses clubes de basquetebol que com tanta industria concentrada nesta zona não são capazes de atrair os empresários para patrocinar a sua causa, dependendo sempre em ultima hora das Camaras Municipais!

É como a velha questão aqui na cidade do Botaréu... Industria e riqueza não falta... o Recreio precisa de um investimento sério... mas os empresários ~são mais capazes de canalizar o seu investimento em patrocinios a equipas de fora, mas superiores do que apostar no Recreio!

Portanto, Aveiro sem uma equipa na Liga Profissional de Basquetebol, não é ridiculo, nem advém de uma infelicidade ( infelizes são aqueles que em idade adulta não podem ganhar o seu dinheiro e tem que mendigar para sobreviver, ou aqueles que não conseguem pensar per si) é antes um desprestigio para a cidade que hoje e digo hoje forma bons atletas...

thesarcasticway disse...

Caro arqui-rival\amigo Bad ( Carlos Martins):

Penso que a Liberty ( mas posso estara entrar em erro) no São Bernardo é apenas patrocinador porque lembro de ler num jornal desportivo há 2 meses atrás que apenas seria patrocinador por 3 épocas, tal como efectivamente faz com a equipa de ciclismo profissional LA\Liberty, penso que por um periodo de 5 épocas...

Outro reparo, caro Carlos:

Diz-se no mundo dos pensadores que se considera cultura todo o esforço de trabalho e criação humana... o desporto foi criação humana, logo deve ser nesta óptica considerada cultura... logo existem mecenas... homens de uma larga riqueza que ( neste caso no âmbito do desporto) custeiam as despesas da prática desportiva em doacções monetárias a fundo perdido... obviamente...

Quanto á problemática suscitada pelo meu comentário acerca da não inclusão de nenhuma equipa Aveirense na Liga Profissional de Basquetebol, retiro efectivamente o termo " ridiculo" e coloco o termo " desprestigiante" não por causa da nega camarária às associações desportivas( penso que nem a Camara de Ilhavo, nem a de Anadia, de certeza teriam capacidade para suportar um esforço monetário e logistico tão grande para levar o Sangalhos ou o Iliabum á LPB) mas desprestigiante aos membros dirigentes desses clubes de basquetebol que com tanta industria concentrada nesta zona não são capazes de atrair os empresários para patrocinar a sua causa, dependendo sempre em ultima hora das Camaras Municipais!

É como a velha questão aqui na cidade do Botaréu... Industria e riqueza não falta... o Recreio precisa de um investimento sério... mas os empresários ~são mais capazes de canalizar o seu investimento em patrocinios a equipas de fora, mas superiores do que apostar no Recreio!

Portanto, Aveiro sem uma equipa na Liga Profissional de Basquetebol, não é ridiculo, nem advém de uma infelicidade ( infelizes são aqueles que em idade adulta não podem ganhar o seu dinheiro e tem que mendigar para sobreviver, ou aqueles que não conseguem pensar per si) é antes um desprestigio para a cidade que hoje e digo hoje forma bons atletas...